Conjuntura Políticas de Saúde

Desmonte do SUS Tem Cara Nova: Exoneração de Mandetta em Meio à Pandemia No ratings yet.

Após semanas de embates nos discursos do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Henrique Mandetta, o presidente anunciou nesta quinta feira (16/04) a exoneração e substituição do ministro por Nelson Teich.

Frente ao discurso irracional, irresponsável e sem fundamento científico de Bolsonaro, Mandetta deixou seu cargo com uma ilusória posição de defensor do SUS e da saúde do povo brasileiro, muito embora a realidade dos fatos mostre que passou longe de sê-lo, seja por sua trajetória política – com sua franca ligação com o setor privado, financiamento de sua campanha em 2014 por planos de saúde, seu voto a favor da EC 95 quando deputado, sua defesa do fim da gratuidade no SUS, dentre outros – bem como por sua gestão à frente do Ministério, responsável por inúmeros e sucessivos ataques ao SUS, em prol de seu sucateamento e do desmonte de políticas públicas, como sua posição contra os médicos cubanos em atividade em todo o território nacional, os retrocessos nas políticas de saúde mental e de drogas, o desmonte da Atenção Primária com a nova PNAB [5], com o novo financiamento para a atenção primária [6], com o Programa Médicos pelo Brasil que propõe a privatização da APS com a ADAPS, com a extinção, na prática, dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), além dos ataques à campanha de HIV/AIDS, às políticas para a população trans e muitos outros.

Se é certo que estar no comando desses ataques daria a Mandetta, na verdade, o título de inimigo do SUS, esse (infelizmente) não é o motivo de sua exoneração nesta quinta-feira. Os confrontos e as discordâncias quanto às estratégias de combate à COVID-19 revelam as disputas internas deste (des)governo e o real propósito da demissão de Mandetta: a necessidade de ter à frente da saúde brasileira alguém comprometido em implementar — sem resistências — as políticas genocidas de Bolsonaro.

Nesse sentido, embora o novo Ministro Nelson Teich já tenha emitido no passado posicionamentos a favor do isolamento social, prontamente à sua nomeação, fez questão de reafirmar seu alinhamento completo com o presidente — o que na prática significa estar disposto a colocar em risco a saúde da população brasileira em prol do lucro e permitir, de maneira irresponsável, milhares de mortes nas próximas semanas.

Nesta encruzilhada em que se encontra o SUS e a saúde da grande maioria da população brasileira, a instabilidade de uma troca ministerial em meio a pandemia é agravada ainda mais com a escolha de um nome como Nelson Teich, empresário da saúde e que não nega seus vínculos com o setor privatista e seu interesse no avanço do capital privado através do fortalecimento da saúde suplementar.

É urgente, mais do que nunca, reafirmarmos e avançarmos em nossa luta pela construção de um sistema de saúde público, 100% estatal, gratuito e de qualidade, que passa necessariamente pela derrubada desse governo irresponsável, que coloca em segundo plano o bem-estar e a vida dos trabalhadores e das trabalhadoras brasileiras.

Viva o SUS!
Fora Bolsonaro, Mourão e seus aliados!

REFERÊNCIAS:


[1]https://epoca.globo.com/expresso/amil-doou-em-2014-100-mil-para-campanha-do-futuro-ministro-da-saude-23247156
[2]https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/58711/mandetta-defende-fim-da-gratuidade-universal-do-sus-28-mai-2019
[3]https://www.abrasco.org.br/site/outras-noticias/saude-da-populacao/sobre-as-mudancas-na-politica-nacional-de-saude-mental-e-nas-diretrizes-da-politica-nacional-sobre-drogas/39619/
[4] Nova PNAD: Religiosa, Moralista, Punitiva e Lucrativa
[5] A Reforma da Política Nacional de Atenção Básica: Mais Um Golpe Contra o SUS
[6]https://www.abrasco.org.br/site/outras-noticias/formacao-e-educacao/novo-modelo-de-financiamento-para-qual-atencao-primaria-a-saude-artigo-de-aquilas-mendes-e-leonardo-carnut/43609/
[7] Programa Médicos Pelo Brasil: Uma Análise Crítica
[8]http://www.epsjv.fiocruz.br/noticias/reportagem/o-fim-do-modelo-multiprofissional-na-saude-da-familia
[9]https://exame.abril.com.br/brasil/brasil-arrisca-retrocessos-no-combate-ao-hiv-aids-onde-ja-foi-referencia/
[10]https://exame.abril.com.br/brasil/ministerio-da-saude-retira-do-ar-cartilha-para-populacao-trans/

Please rate this

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *